Os moinhos de vento são um cartão-de-visita da ilha da Graciosa nos Açores, resultantes de tempos idos em que a Ilha foi considerada o “Celeiro dos Açores”, pela sua vasta produção de cereais.

Atualmente os moinhos deixaram de ter a sua utilização original e diversos foram sendo adaptados como habitação. O “Moinho da Mó da Praia” foi um dos últimos moinhos a moer cereais na Ilha, funcionando como moinho até 2002.

O nome dado ao moinho (“Mó da Praia”) faz referência a um artefacto indispensável à atividade do moleiro e também à sua localização privilegiada, junto à única praia de areia fina da Ilha Graciosa, na povoação de “São Mateus (Praia)”, situada no sopé da Caldeira da Graciosa.

Localização

São Mateus

7313 CC

O projeto de recuperação do moinho teve início em 2009 com o propósito de preservar ao máximo as suas características. Foram também recuperadas algumas peças e utensílios usados na atividade da moagem, para memória futura.

O processo de recuperação começou pela cúpula (ou copa), que foi construída por processos tradicionais pelo último mestre da Ilha com os conhecimentos específicos necessários.

O antigo anexo permitiu construir o acesso por escadas interiores ao corpo do moinho e foi ampliado para conter toda a zona social com características modernas, composta pela sala comum, kitchenette, instalações sanitárias e um terraço exterior abrigado do vento por um longo muro. Junto às escadas ainda se consegue ver uma secção do túnel por onde passavam as correias que ligavam a roda do motor à peça de moagem, a qual foi recuperada e se encontra no piso térreo do moinho em exposição.

O corpo do moinho foi adaptado para instalar o alojamento composto por 2 quartos, um duplo situado no corpo do moinho e outro situado na cúpula do moinho (com um beliche composto por uma cama dupla e uma single), uma sala de estar situada no moinho (com decoração composta por equipamento de moagem recuperado).

A Ilha Graciosa provavelmente deve o seu nome às suas paisagens encantadoras, suavemente onduladas, marcadas por pequenas aglomerações de baixas montanhas, colinas dispersas e pequenos cones vulcânicos, em que a grande maioria não atinge os 100 metros de altitude. O seu epíteto “ilha branca” deve-se, presumivelmente, ao facto de existirem rochas claras na costa sul, onde a encosta da Serra Branca se junta ao mar.

Um dos ex-libris da Graciosa são sem dúvida os moinhos de vento, ao estilo holandês, com os seus peculiares telhados vermelhos (as cúpulas) em forma de cebola, considerados os mais bonitos de todo o arquipélago, principalmente quando as suas velas estão desfraldadas.

No Moinho da Mó da Praia, propomos uma estadia inesquecível, com diversas atividades que ajudarão a conhecer a ilha e os seus simpáticos e comunicativos habitantes.