O Palácio de Rio Frio nasce no inicio do século XX, com uma situação privilegiada próxima do Montijo, de Alcochete e das margens do Tejo. Outrora, a propriedade com cerca de 17 mil hectares foi considerada uma das maiores herdades do país produzindo essencialmente vinho. Nas gerações seguintes, a herdade foi deixada em herança a um sobrinho de José Maria dos Santos, Alfredo Santos Jorge, que manda construir o Palácio de Rio Frio. Dona Maria de Lourdes Pereira Lupi d Orey, atual proprietária do Palácio de Rio Frio e sobrinha - neta de Alfredo Santos Jorge, recorda a magia da vida na herdade.

De família grande, profundamente ligada ao campo e à lavoura, destaca-se o irmão José Samuel Lupi como figura tauromáquica. A casa oferece uma decoração elegante, com um magnífico conjunto de azulejos de Jorge Colaço. Oferece uma encantadora viagem pelos jardins e bosque, proporcionando uma experiência única.

Apesar da proximidade de Lisboa, uma estadia no Palácio de Rio Frio tem todos os ingredientes para um delicioso mergulho na natureza e permite usufruir de todos os prazeres do campo, num ambiente simpático e acolhedor.

Alojamento

  • 3 x Twin - Desde 125.00€ / noite
  • 1 x Duplo - Desde 125.00€ / noite
  • 1 x Suite - Desde 125.00€ / noite

Características

  • Cavalos
  • Estacionamento
  • Fala-se espanhol
  • Fala-se francês
  • Fala-se inglês
  • Jardins
  • Passeios a Pé
  • Piscina
  • Refeições mediante solicitação

Localização

Rio Frio

4510 TH

Entre o Montijo e Alcochete, não muito longe das margens do Tejo, o silêncio magnífico envolve o Palácio de Rio Frio e os campos dourados ao fim da tarde. Já lá vão os tempos em que este palácio era a casa abastada de uma das maiores herdades do país. Em 1892, ainda antes de o palácio existir, Rio Frio era uma propriedade de 17 mil hectares, onde o veterinário José Maria dos Santos mandou plantar uma gigantesca vinha, o que significa qualquer coisa como dez milhões de cepas, constituindo, para a época, uma exploração vinícola sem rival no mundo.

Nas gerações seguintes, a herdade continuava a ser uma das maiores do pais e foi deixada em herança a um sobrinho de José Maria dos Santos, Alfredo Santos Jorge, que mandou construir o Palácio de Rio Frio no princípio do século. Não se sabe quem foi o arquitecto desta casa por terem desaparecido num incêndio todos os arquivos que o identificariam, mas os azulejos que decoram o exterior e o interior da casa foram encomendados a Jorge Colaço. Maria de Lourdes Pereira Lupi d'Orey, actual proprietária do Palácio de Rio Frio e sobrinha -neta de Alfredo Santos Jorge, ainda se lembra da magia da vida na herdade, quando para aqui veio viver, em criança, com os pais. Era uma época em que o tempo passava devagar, ao ritmo das estações e das épocas agrícolas. Produziam-se na herdade todos os produtos básicos e necessários à vida diária da família: pão, manteiga, farinha, ovos, leite, arroz, legumes, carne de gado, etc. Eram uma família grande, profundamente ligada ao campo e à lavoura, e, dos vários irmãos de Maria de Lourdes, foi José Samuel Lupi que se destacou como figura tauromáquica de relevo no seu tempo.

In Solares de Portugal A arte de bem receber , Edições INAPA, 2007