Na encosta sul do Monte da Penha, nos arredores de Guimarães, surge a acolhedora Quinta de Cima de Eiriz. Construída em boa parte com cantaria e pedra de silhar, constitui um belo exemplar da arquitectura minhota e um convite para uma experiência inesquecível.

A recuperação criteriosa salvaguardou a traça primitiva, devolvendo o esplendor de casa de lavoura. Dispõe de quatro quartos com decoração simples e uma sala de estar onde impera a tranquilidade. A casa oferece conforto, qualidade, com peças de artesanato e mobiliário rústico português. O hóspede pode usufruir de um belo jardim de árvores frondosas, a piscina refrescante, um verdadeiro convívio com a natureza e o campo.

Alojamento

  • 2 x Duplo - Desde 65.00€ / noite
  • 2 x Twin - Desde 65.00€ / noite

Características

  • Bar
  • Bilhares
  • Estacionamento
  • Fala-se espanhol
  • Fala-se francês
  • Fala-se inglês
  • Jardins
  • Parque infantil
  • Passeios a Pé
  • Piscina
  • Refeições mediante solicitação
  • Sala de jogo

Morada

Calvos

1673 TH

Situada na encosta sul do Monte da Penha e rodeada de bosques, pinheiros e eucaliptos, ergue-se a Quinta de Cima de Eiriz, ideal para uns dias de repouso, desfrutando do vale do rio Vizela que ladeia o monte entre hortas e casas agrícolas.

Construída em boa parte com cantaria e pedra de silhar, data do século XVII é bastante representativa da arquitectura minhota. A reabilitação cuidadosa a que foi sujeita respeitou a traça primitiva, que relembra os tempos em que aqui viveu um agricultor endinheirado. Entre os vestígios da época, destacam-se as velhas escadas de silhares e o arco de entrada em pedra, utilizado para a passagem dos carros.

Ao entrar, vislumbra-se o mobiliário de estilo rústico português, entre tecidos e tapetes com desenhos tradicionais. Algumas plantas, um bonito chão de tijoleira, camas robustas e diversas peças de cerâmica acentuam a rusticidade desta casa.

O alojamento dispõe de quatro quartos e uma sala de estar onde os mais preguiçosos podem repousar. Lã fora, um jardim de árvores frondosas anima os mais aventureiros a descobrir a região. Na piscina, pode-se ainda desfrutar de uma bela paisagem, ao mesmo tempo que se usufrui da sensação refrescante de dar umas braçadas na água.

In Solares de Portugal A arte de bem receber , Edições INAPA, 2007