O Palácio de Rio Frio nasce no inicio do século XX, com uma situação privilegiada próxima do Montijo, de Alcochete e das margens do Tejo. Outrora, a propriedade com cerca de 17 mil hectares foi considerada uma das maiores herdades do país produzindo essencialmente vinho. Nas gerações seguintes, a herdade foi deixada em herança a um sobrinho de José Maria dos Santos, Alfredo Santos Jorge, que manda construir o Palácio de Rio Frio. Dona Maria de Lourdes Pereira Lupi d Orey, atual proprietária do Palácio de Rio Frio e sobrinha - neta de Alfredo Santos Jorge, recorda a magia da vida na herdade.

De família grande, profundamente ligada ao campo e à lavoura, destaca-se o irmão José Samuel Lupi como figura tauromáquica. A casa oferece uma decoração elegante, com um magnífico conjunto de azulejos de Jorge Colaço. Oferece uma encantadora viagem pelos jardins e bosque, proporcionando uma experiência única.

Alojamento

  • 2 x Duplo - Desde 132.00€ / noite
  • 2 x Twin - Desde 132.00€ / noite

Características

  • Cavalos
  • Estacionamento
  • Fala-se espanhol
  • Fala-se francês
  • Fala-se inglês
  • Jardins
  • Passeios a Pé
  • Piscina
  • Refeições mediante solicitação

Localização

Rio Frio

4510 TH

Entre o Montijo e Alcochete, não muito longe das margens do Tejo, o silêncio magnífico envolve o Palácio de Rio Frio e os campos dourados ao fim da tarde. Já lá vão os tempos em que este palácio era a casa abastada de uma das maiores herdades do país. Em 1892, ainda antes de o palácio existir, Rio Frio era uma propriedade de 17 mil hectares, onde o veterinário José Maria dos Santos mandou plantar uma gigantesca vinha, o que significa qualquer coisa como dez milhões de cepas, constituindo, para a época, uma exploração vinícola sem rival no mundo.

Nas gerações seguintes, a herdade continuava a ser uma das maiores do pais e foi deixada em herança a um sobrinho de José Maria dos Santos, Alfredo Santos Jorge, que mandou construir o Palácio de Rio Frio no princípio do século. Não se sabe quem foi o arquitecto desta casa por terem desaparecido num incêndio todos os arquivos que o identificariam, mas os azulejos que decoram o exterior e o interior da casa foram encomendados a Jorge Colaço. Maria de Lourdes Pereira Lupi d'Orey, actual proprietária do Palácio de Rio Frio e sobrinha -neta de Alfredo Santos Jorge, ainda se lembra da magia da vida na herdade, quando para aqui veio viver, em criança, com os pais. Era uma época em que o tempo passava devagar, ao ritmo das estações e das épocas agrícolas. Produziam-se na herdade todos os produtos básicos e necessários à vida diária da família: pão, manteiga, farinha, ovos, leite, arroz, legumes, carne de gado, etc. Eram uma família grande, profundamente ligada ao campo e à lavoura, e, dos vários irmãos de Maria de Lourdes, foi José Samuel Lupi que se destacou como figura tauromáquica de relevo no seu tempo.

Apesar da proximidade de Lisboa, uma estadia no Palácio de Rio Frio tem todos os ingredientes para um delicioso mergulho na natureza e permite usufruir de todos os prazeres do campo, num ambiente simpático e acolhedor.

In Solares de Portugal A arte de bem receber , Edições INAPA, 2007