A Casa das Paredes data de meados do século XVII, outrora, reconhecida por casa do Vale de Paredes . Junto à casa descobre-se a história do seu primeiro habitante, através da frontaria da Capela da Senhora da Conceição, onde reza a inscrição: "Esta capela foi mandada fazer por José Simões da Casa das Paredes estando nas índias". Associada à história de Portugal e às Invasões Francesas.

Com uma atmosfera bucólica, engrandecida pelo jardim romântico no seio de uma exploração agrícola, oferece ao visitante conforto, um ambiente acolhedor e a inspiração proporcionada pelo grande pátio murado, ao som das águas cristalinas. O enquadramento da casa junto das cidades históricas de Braga e de Guimarães, e o fácil acesso às serras e barragens vizinhas, permitem uma experiência das belezas naturais em aliança com a prática de desportos náuticos, a caça e a pesca em zonas coutadas.

Alojamento

  • 2 x Apt. x2 - Desde 96.00€ / noite
  • 4 x Duplo - Desde 96.00€ / noite
  • 3 x Twin - Desde 96.00€ / noite

Características

  • Bicicletas
  • Bilhares
  • Estacionamento
  • Fala-se francês
  • Fala-se inglês
  • Jardins
  • Passeios a Pé
  • Piscina
  • Sala de jogo
  • Ténis de mesa

Localização

Av. Da Liberdade, 138 Medelo

7203 TH

As grossas paredes de granito sucedem-se no horizonte e deixam claro que, nesta região, este nobre material é rei. A Casa das Paredes não foge à regra. Mandada construir em meados do século XVII por Pedro Simões, restam dessa época a ala virada a norte e a cozinha, a poente. Inicialmente, a casa era chamada "Casal do Vale de Paredes" pois, de acordo com documentos antigos, conclui-se ter ali existido uma anterior construção.

A duzentos metros da casa descobre-se um pouco mais da história do seu primeiro habitante, através da frontaria da Capela da Senhora da Conceição, onde se lê a inscrição: "Esta capela foi mandada fazer por José Simões da Casa das Paredes estando nas índias".

Durante as Invasões Francesas, a casa foi ocupada pelas tropas napoleónicas e sofreu consideráveis estragos, bem como no reinado de D. Miguel Aumentado ao longo dos anos pelos seus diversos proprietários, o edifício exibe actualmente uma imponente fachada para a rua, sobressaindo um conjunto harmonioso de janelas e clarabóias.

A Casa das Paredes foi doada por O. Maria Helena de Araújo Vasconcelos Vilas-Boas e Alvim a uma sobrinha, D. Maria Filomena Smolsky Vilas-Boas e Alvim de Oliveira Torres, casada com o Dr. Álvaro Augusto Cordeiro de Oliveira Torres. O casal levou a cabo as obras de restauro de que a casa e os jardins necessitavam.

In Solares de Portugal A arte de bem receber , Edições INAPA, 2007

HISTORIAL

A Casa das Paredes foi construída em meados do século XVII por Pedro Simões. Desta época datam a ala virada a norte e a cozinha, a poente. A casa teve o nome inicial de 'Casal do Vale de Paredes', pois por documentos antigos conclui-se ter existido uma anterior construção naquele local.

Na frontaria da Capela da Senhora da Conceição, a duzentos metros da casa lê-se a seguinte inscrição: 'Esta capela foi mandada fazer por José Simões da Casa das Paredes estando nas Índias'.

Durante as Invasões Francesas a casa não foi poupada e sofreu consideráveis estragos, bem como no reinado de D. Miguel.

A casa foi sendo sucessivamente aumentada ao longo dos anos pelos seus diversos descendentes. Actualmente é senhora da Casa das Paredes, D. Maria Helena de Araújo Vasconcelos Vilas-Boas e Alvim, que desta fez doação a sua sobrinha D. Maria Filomena Smolsky Vilas-Boas e Alvim de OLiveira Torres casada com o Dr. Álvaro Augusto Cordeiro de Oliveira Torres, os quais levaram a cabo as obras de restauro que a casa e os jardins necessitavam.