Seja Bem Vindo aos Solares de Portugal
Português
English
Français
Telefone +351 258 931 750Contactosinfo@solaresdeportugal.pt

A vizualização deste conteúdo requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Casas AntigasCasa de RodasSolares de Portugal « Casas Antigas « Monção

Tipo: Casas Antigas
Proprietário: Maria Luísa Távora
Contactos: Rodas@solaresdeportugal.pt
Alojamento: 1 alojamento(s) Apt. x2 - Desde 80 EUR/noite
5 alojamento(s) Duplo - Desde 80 EUR/noite
4 alojamento(s) Twin - Desde 80 EUR/noite


Reserve
RESERVE JÁ

Solar tipicamente minhoto localizado a 1 km de Monção, a Casa de Rodas, foi mandada construir em 1566. A história da casa encerra memórias de outros tempos associada à história de Monção. Até 1836, os senhores da casa mantiveram a varonia dos Pitas, descendendo de João Pita Ortigueira, cavaleiro fidalgo da Casa Real de D. Afonso V.

À entrada da Casa de Rodas, duas antigas magnólias convidam e inspiram o hóspede. A capela do solar, data de 1768, tendo sido agraciada do culto sido pelo arcebispo de Braga, D. Gaspar, um dos meninos de Palhavã, filho de D. João V. A casa oferece vários salões integrados numa quinta de lavoura onde se produz o vinho Alvarinho. Dispõe de um conjunto de actividades, desde provas e passeios nos jardins ou na frondosa mata de árvores seculares.

Distâncias Relevantes

  Aeroporto - 130 km  Estação CP - 18 km
  Farmácia - 1 km  Golfe - 75 km
  Hospital - 1 km  Localidade - 1 km
  Praia - 50 km  Restaurante - 1 km

Como Chegar

Do Porto tome a A3 em direcção a Valença e chegando aqui tome a N101 para Monção. Ao chegar a Monção, no cruzamento com semáforos, continue em frente em direcção a Melgaço e 500 m depois vire à direita seguindo a indicação 'Turismo de Habitação', e encontrará a Casa de Rodas 50 m à frente, do lado direito.

Coordenadas GPS
N 42 ° 03 '55.4 "
W 08 ° 28 '43.8 "

localizaÇÃoLocalização
Solar Atual  Casa de Rodas
 Casa Atual  Outros Solares
Casa de Rodas - Rodas - Monção - Minho - Casa Antiga - Manor HouseCasa de Rodas - Rodas - Monção - Minho - Casa Antiga - Manor HouseCasa de Rodas - Rodas - Monção - Minho - Casa Antiga - Manor HouseCasa de Rodas - Rodas - Monção - Minho - Casa Antiga - Manor HouseCasa de Rodas - Rodas - Monção - Minho - Casa Antiga - Manor HouseB Casa das Rodas - Rodas - Monção - Minho - Casa Antiga - Manor HouseCasa das Rodas - Rodas - Monção - Minho - Casa Antiga - Manor HouseCasa das Rodas - Rodas - Monção - Minho - Casa Antiga - Manor HouseCasa das Rodas - Rodas - Monção - Minho - Casa Antiga - Manor HouseCasa das Rodas - Rodas - Monção - Minho - Casa Antiga - Manor House
Equipamento e CaracterÍsticasCaracterísticas e Equipamentos
  Adega  Capela
  Estacionamento  Fala-se francês
  Fala-se inglês  Jardins
  Passeios a Pé  Piscina
  Provas de vinho  Sala de jogo
descubra maisDescubra Mais

A Casa de Rodas fica situada a um quilómetro de Monção, numa quinta com quarenta hectares, na região do vinho Alvarinho.
O solar, uma casa nobre tipicamente minhota, foi construído em 1566, tendo sido incendiado em 1658, quando as tropas castelhanas fizeram um cerco a Monção, restando dessa época apenas uma torre que hoje faz parte de uma área de serviço da cozinha. Logo de seguida, o solar foi reconstruído por Manuel Palhares Coelho, seu dono e capitão-mor de Monção, e é dessa época o brasão com as suas armas que ornamenta o tecto de uma das salas. Até 183 6, os senhores desta casa mantiveram a varonia dos Pitas, descendendo de João Pita Ortigueira, cavaleiro fidalgo da Casa Real de D. Afonso V.
A capela do solar, construída no lugar de uma anterior mais pequena, data de de 1768, tendo sido a autorização do culto dada pelo arcebispo de Braga, D. Gaspar, um dos meninos de Palhavã, filho de D. JOÃO V.
Quando se entra no portão que dá acesso à Casa de Rodas, duas enormes magnólias muito antigas parecem proteger a casa e o visitante. Um extenso relvado em frente à casa dá-lhe um aspecto ordenado e arranjado, e o cheirinho a lenha queimada que sai da chaminé e se mistura com o odor da terra molhada dá vontade de entrar depressa para nos refugiarmos num ambiente confortável, Maria Luísa Távora acolhe os hóspedes com simpatia, desde 1979.
Uma estadia na Casa de Rodas levará certamente o viajante a envolver-se em memórias de outros tempos, a deixar-se abandonar aos momentos passados à volta da lareira da velha cozinha e aos muitos passeios simpáticos pelos jardins e matas que rodeiam esta bonita casa.
In “Solares de Portugal – A arte de bem receber”, Edições INAPA, 2007

HISTORIAL
A Casa de Rodas foi sempre propriedade da mesma família. Está localizada a 1 Km. de Monção, na sub-região do Alvarinho, dentro da Quinta de Rodas.
Os proprietários, que até 1836 mantiveram a linha masculina da família Pita, descendem de João Pita Ortigueira, Lorde de D. Afonso V (1391-1438) na Casa Real, onde foram ordenados Cavaleiros da Ordem de Cristo, Lordes da Casa Real, Juízes dos Reais Direitos em Caminha, salientando-se, entre outros, João Pita do Vale, Lorde da Casa Real, Conde Inquisitor e Distribuidor na vila de Caminha; tendo sido, também, o primeiro a aclamar o Rei D. João IV, no ano de 1640 e protegeu a Fortaleza da Ínsua do Assédio, com os seus soldados.
A Casa ardeu em 1658, na altura do cerco a Monção pelos soldados Castelhanos, comandados pelo General Baltazar Rexas e Pantoja. Foi imediatamente reparada pelo proprietário Manuel Palhares Coelho, existindo ainda o Brasão com as suas Armas no tecto de uma das salas da casa. A Capela foi restaurada em 1769. Em 1904, as duas pequenas torres foram ligadas para fechar a varanda.
Em 1881, Bento Malheiro Pereira Pita de Vasconcelos, Lorde da Casa Real, casou com D. Maria Luísa de Faria e Távora Abreu e Lima, sobrinha do Conde da Carreira, diplomata de grande influência e precetor dos príncipes D. Luiz e D, Pedro V. Descendente de Álvaro Ruiz de Távora, Lorde da Casa Real e Cavaleiro Comendador da Ordem de Cristo, conhecido por Vianês, não só pelo seu trabalho em Viana, como capitão de navio no Caminho Marítimo para a Índia, mas também como defensor, em terra, contra os barcos piratas.
Por causa de tantas ajudas prestadas, o Rei D. Sebastião deu-lhe, em 1576, os seguintes benefícios (entre outros): Alcaide, Procurador, Controlador nos trabalhos da fortaleza de Baçaim. O seu filho e os seus netos foram muito importantes na Època dos Descobrimentos. Também descendentes de Fernão Brandão, que pela suas prestações em Cafim e Azamoz foi distinguido com a medalha de S. João das cabanas, em Afife; era também descendente de João Álvares Fagundes, donatário da Terra Nova.